(51) 3517-2003  |    (51) 99600-2233   |      contato@endocrinologistamilene.med.br   |   

  • slider_5

    slider_5

  • VIGITEL_2017

    VIGITEL_2017

  • r_george_bray

    r_george_bray

  • r_Jose_Scherman_obesidade

    r_Jose_Scherman_obesidade

ARTIGOS

DICA DA SEMANA

  • Quão ativo você está? Uma forma de estimar o nível de atividade física de uma pessoa é através do número de passos que ela dá por dia. Dessa forma, indivíduos com menos do que 5000 passos/dia são considerados sedentários, aqueles com 5000 a 7500 passos/dia como pouco ativos e aqueles com mais do que 10000 passos/dia como fisicamente ativos!    
  • Para cada redução de 1 kg, a pressão sistólica reduz em média 1 a 2,4 mmHg. Uma redução de 2 mmHg na pressão sistólica está associada a uma redução na mortalidade por AVC de 10%!  Ainda, para cada redução de 1 kg ocorre uma redução de 16% no risco de diabetes tipo 2!    
  • Mulheres tentando engravidar, gestantes e mulheres que estão amamentando não devem receber nenhuma medicação para perda de peso pelo risco de complicações para o bebê!
  • O estímulo visual desempenha um papel importante na ativação da vontade de comer. Portanto, evite passar por locais no mercado sabidamente repleto de alimentos pouco saudáveis. Além disso, ter um planejamento é fundamental durante o processo de perda e manutenção do peso. Portanto, faça uma lista de compras e evite ir ao mercado antes das refeições, pois a fome aumenta nossa probabilidade de fazer escolhas menos saudáveis.
  • Pacientes com hipotireoidismo não tratado apresentam um acúmulo de ácido hialurônico e outras glicosaminoglicanas na pele, o que acarreta uma retenção hídrica generalizada. Em decorrência do excesso destas substâncias, pacientes com hipotireoidismo podem apresentar um ganho discreto de peso, geralmente não superior a 2 – 3 kg, correspondente à retenção hídrica (edema ou inchaço). Portanto, ter hipotireoidismo pode sim levar a um (discreto) ganho de peso. Entretanto, pacientes em tratamento adequado para o hipotireoidismo não apresentam maior dificuldade na perda de peso por serem portadores desta condição.  
  • Como manter o peso no longo prazo? O maior grupo de pesquisa de indivíduos que conseguiram perder e manter o peso foi criado em 1994 na Universidade de Colorado / EUA. O objetivo deste grupo é identificar e investigar as características de indivíduos que obtiveram sucesso na perda de peso no longo prazo. Até o momento, mais de 10.000 indivíduos estão sendo analisados, com uma média de perda de 30 kg e manutenção desta perda por aproximadamente 5 anos. Quase dois terços destes indivíduos referiram redução do tempo em frente à TV para menos do que 10 horas por semana!
  • Conforme um dos maiores estudos sobre intervenções para prevenção do diabetes, para indivíduos com pré-diabetes, uma condição de alto risco de evolução para diabetes, houve uma redução de 16% no risco de progressão para doença para cada quilo de peso perdido! 
  • Estudos sobre a farmacocinética do álcool após a cirurgia para a perda de peso, o bypass gástrico, demonstram que o pico de concentração e a velocidade para que ocorra este pico são maiores após a cirurgia. Ainda, o tempo de retorno ao estado sóbrio é maior nestes indivíduos. Estas alterações, em conjunto, tornam os indivíduos submetidos ao procedimento mais suscetíveis aos efeitos danosos do álcool, mesmo após uma ingestão de doses consideradas seguras para indivíduos não submetidos à cirurgia.
  • Como está o sono do seu filho? Distúrbios na qualidade do sono ou no tempo de sono podem afetar o apetite e predispor ao surgimento da obesidade e do diabetes tipo 2. Conforme as recomendações do The National Sleep Foundation, um período de sono entre 8 a 11 horas é desejável para crianças e adolescentes.
  • Evite dar ao seu filho alimentos com elevado valor calórico e pobre em nutrientes, como bebidas açucaradas (refrigerantes e sucos de frutas), fast foods e alimentos ultraprocessados. Infelizmente, 30 a 40% da alimentação das crianças e adolescentes é proveniente de bebidas açucaradas e lanches ultraprocessados. A ingestão deste tipo de bebida está associada ao aumento do peso, circunferência abdominal e redução do HDL (colesterol bom). Prefira a ingestão da fruta inteira mais do que o suco da fruta, pois a fruta fornece um maior benefício nutricional além de causar maior saciedade.
  • Após estabelecer um peso de manutenção e uma margem de variação dentro da qual você poderá oscilar, a realização de pesagens semanais (1 a 2 vezes por semana) ajudará a identificar precocemente limiares de peso (“peso alerta”) que sinalizam a necessidade de se engajar em estratégias para retomada do peso prévio! 
  • Se você estiver se sentindo privado ou insatisfeito com o seu plano alimentar é porque a sua dieta não é do tipo que possa se tornar um hábito para toda a vida. É preciso desenvolver um novo modo de pensar sobre seu relacionamento com a comida e passar da sensação de privação para a de satisfação. O tratamento não pode ser visto como mais um "peso" em sua vida!
  • Confira a seguir algumas sugestões de como reorganizar o seu ambiente alimentar para aumentar a chance de sucesso: 1. Mantenha distância de alimentos problemáticos, preferencialmente deixando de comprá-los ou mantendo-os fora de vista; 2. Sempre tenha uma variedade de alimentos de baixa caloria a sua volta; 3. Não fique longos períodos sem se alimentar, pois isto pode levá-lo ao comer em excesso tanto por fome quanto por gula; 4. Envolva-se em atividades prazerosas que não incluam comida. O engajamento em atividades lúdicas reduzirá a sua ansiedade em relação à comida.
  • Força de vontade é a capacidade de resistir a alimentos tentadores em seu ambiente. Se você depender unicamente da força de vontade para ser bem sucedido no processo de emagrecimento é provável que seu sucesso tenha vida curta porque a motivação para resistir aos alimentos tentadores pode ir e vir com o tempo. Para perder peso e  mantê-lo no longo prazo você precisa aprender escolher os melhores alimentos, deixando de lado a dependência na força de vontade para tornar o autocontrole um hábito. Sendo uma habilidade, o autocontrole requer tempo e experiência, além de muita prática!
  • Invariavelmente todo indivíduo em um processo de reeducação alimentar acaba "escorregando". Importante compreender que não existe uma escorregada isolada que possa arruinar nosso progresso geral. Sair dos trilhos eventualmente faz parte do processo de mudança de hábitos. Uma escorregada não caracteriza um padrão! Entretanto, se você perceber uma série delas e um retorno progressivo aos velhos hábitos é hora de tomar providências! Tente fazer uma lista de pistas que mostrem haver algo mais que apenas uma escorregada. As pistas podem incluir, por exemplo, um ganho de peso superior a 2 kg, mais de uma semana sem se exercitar, roupas apertando novamente ou o retorno de um velho hábito que tenha sido difícil de superar.
  • Você sabe quais são os efeitos do álcool sobre a perda de peso? Cada grama de álcool possui 7 calorias e é metabolizado como gordura. Além disso, a ingestão de bebidas alcoólicas pode reduzir o seu autocontrole, favorecendo o comer em excesso.  
  • Para pacientes com diabetes tipo 2, para cada perda de 1 kg, existe uma redução de 0,1% nos níveis de hemoglobina glicada, exame que avalia a média da glicemia dos últimos 3 meses! 
  • A definição de "gordinho saudável" é atribuída aos pacientes com obesidade (IMC maior ou igual a 30 kg/m²) e níveis de pressão arterial, perfil lipídico e glicemia normais. Estes pacientes, mesmo que ainda apresentem exames normais, estão em risco elevado de doença cardiovascular e mortalidade por todas as causas! Portanto, o termo "gordinho saudável" é mito pois o excesso de tecido adiposo não é saudável ao organismo.
  • A síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) é bastante frequente em indivíduos com obesidade, definida por um índice de massa corporal (IMC) maior ou igual a 30 kg/m², podendo chegar a 70% entre aqueles com obesidade mórbida, ou seja, IMC maior ou igual a 40 kg/m²! A SAOS está associada ao aumento do risco de doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial, arritmias e morte. Para cada redução de 10% do excesso de peso ocorre uma redução aproximada de 30% nos eventos de apneia do sono!
  • O acúmulo de gordura abdominal ou visceral está relacionado à insulinorresistência, mecanismo principal do diabetes tipo 2. A realização regular de exercícios reduz a obesidade visceral, independente da perda de peso!
  • Confira a seguir algumas dicas que podem auxiliar a criança/adolescente no controle do peso: 1. Não instale televisão no quarto, pois isto favorece um comportamento sedentário; 2. Não assista TV durante as refeições, é importante concentrar-se no alimento ingerido; 3. Limite o tempo máximo a TV ou qualquer outro aparelho a 2 horas diárias (é importante que os pais tenham o mesmo comportamento); 4. Evite exposição de crianças menores de 2 anos a mídias como TV, tablets, celulares.
  • O principal preditor de manutenção do novo peso após qualquer intervenção (dieta ou cirurgia) é a preservação da massa muscular durante e após a intervenção! Não importa se a perda de peso foi rápida ou lenta. A velocidade de perda de peso não é preditora de reganho de peso e sim a manutenção da massa magra e a adesão no longo prazo a uma rotina de exercícios e alimentação saudável!
  • Os suplementos ditos termogênicos, tais como a cafeína, o chá verde e a capsaicina, aumentam o gasto calórico agudamente após a sua ingestão. Entretanto, seus efeitos sobre o gasto calórico no longo prazo são questionáveis sobretudo pela tolerância do organismo com a ingestão regular destes compostos. Além disso, o aumento do gasto calórico induzida pelos termogênicos costuma ficar entre 50 a 100 kcal ao dia o que, clinicamente, é irrelevante para perda de peso.
  • Em vez de consumir refrigerantes diet ou zero, dê preferência à água saborizada com fatias de limão, laranja, gengibre, menta ou esprema um limão na água (com ou sem gás)
  • Alimente-se devagar e em pequenas quantidades. O prazer é maior nas primeiras porções e quantidades pequenas podem ser suficientes para matar a vontade. Para lhe ajudar a comer devagar, repouse os talheres durante a refeição.
  • Neste final de ano, tente controlar a quantidade de bebida alcoólica ingerida, intercalando-a com água. Além disso, é importante planejar-se antecipadamente sobre o quanto irá beber. Evite que lhe sirvam enquanto o copo ainda não estiver vazio. Evite também coquetéis doces, preparados com açúcar, pois estes contêm uma quantidade grande de calorias sem dar saciedade. Ainda, quanto maior a ingestão de bebida alcoólica, maior a chance de exagerar no que se come.
  • Você sabia que indivíduos ativos apresentam risco 30% menor de desenvolver hipertensão arterial em relação aos sedentários? Além disso, a realização regular de exercício físico reduz o risco de hipertensão arterial assim como auxilia no controle da pressão em pacientes em tratamento para a doença.
  • Indivíduos que consomem grandes quantidades de alimentos em poucas refeições por dia podem se beneficiar do consumo de alimentos com volume maior e menor densidade energética, ou seja, alimentos com maior teor de água e/ou fibras como por exemplo caldo de legumes, saladas e vegetais antes das refeições, visto que estes alimentos auxiliam na saciação (redução da ingestão calórica na refeição).
  • Prefira a fruta in natura ao suco de fruta, mesmo que este seja 100% natural. A falta de proteína e de fibras no suco pode predispor ao ganho de peso. Além disso, o alto teor de açúcares no suco, como a frutose, sacarose, glicose e sorbitol, contribui para o aumento do consumo de calorias e o risco de cárie dentária em crianças.
  • Mulheres com excesso de peso apresentam maior risco de tromboembolismo venoso. Por isso, métodos contraceptivos contendo estrogênio devem ser evitados. Alternativas para evitar a concepção incluem DIU de progesterona (Mirena) ou métodos não hormonais como DIU de cobre e diafragma.
  • Pacientes com ganho de peso, mesmo que dentro de um índice de massa corporal (IMC) considerado normal, como por exemplo, IMC de 23 para 25 kg/m², apresentam um risco 4 vezes maior de desenvolver diabetes melito tipo 2!
  • Você sabia que existe uma íntima relação entre excesso de peso e asma? A asma pode favorecer o ganho de peso tanto pelo uso frequente de corticoide como pela promoção do sedentarismo. Já a obesidade pode piorar a evolução da asma! Uma perda de 15% do peso é capaz de reduzir as exacerbações, a gravidade e o uso de medicações de resgate em indivíduos com asma.
  • Alimentação seletiva na infância - Dicas para ampliar o cardápio: 1. Introduza novos alimentos gradualmente; 2. Forneça o mesmo alimento para os demais membros da família; 3. Faça as refeições e os lanches junto com a criança; 4. Incentive, mas não pressione a criança para comer um alimento específico; 5. Ofereça o mesmo alimento de diferentes formas pelo menos 8 a 12 vezes.
  • Embora o exercício isoladamente não seja uma estratégia eficaz para indução rápida da perda de peso para a grande maioria dos pacientes, o aumento do gasto calórico através da atividade física é fundamental na prevenção da recuperação de peso após a perda inicial. Além disso, a adição de um exercício resistido como, por exemplo, a musculação, durante a fase de emagrecimento, auxilia na preservação da massa muscular e consequentemente do metabolismo basal no longo prazo!
  • Durante o tratamento da obesidade, evite pensamentos dicotômicos, do tipo tudo ou nada. Este tipo de pensamento faz com que, diante de um pequeno lapso, você interprete isso como falha absoluta e abandone o tratamento. O processo de mudança comportamental consiste em um continnum de autocontrole, existindo categorias intermediárias que precisam ser consideradas e mantidas. O autocontrole é uma habilidade que precisa ser desenvolvida e aperfeiçoada ao longo do tempo!
  • O peso corporal é homeostaticamente controlado para ser mantido num determinado valor. Quando ocorre perda de peso, diversos mecanismos compensatórios são ativados na tentativa de restaurar o peso anterior. Por isso, o uso combinado de medicações com mecanismos de ação diferentes muitas vezes faz-se necessário por controlar melhor as múltiplas vias responsáveis pela fome e saciedade.
  • A terapia de reposição hormonal na menopausa está indicada atualmente para mulheres abaixo de 60 anos ou que estejam na menopausa há menos de 10 anos e que apresentem sintomas vasomotores significativos (calorões) ou para mulheres referindo ressecamento vaginal e dor na relação sexual e que não apresentem contra-indicações ao tratamento, tais como câncer de mama, risco cardiovascular elevado, AVC e história de trombose.
  • Você sabia que o pico de massa óssea ocorre por volta dos 25 anos de idade? A obtenção de um pico máximo de massa óssea é considerada a melhor proteção contra a perda óssea relacionada à idade e é influenciado pela genética e por fatores ambientais, como uma alimentação rica em cálcio e a realização de exercícios regulares, sobretudo aqueles com alguma resistência ou impacto! A prevenção da osteoporose começa na infância!
  • A realização regular de exercício reduz o risco de hipertensão arterial assim como auxilia no controle da pressão em pacientes em tratamento para a doença. Além disso, indivíduos ativos apresentam um risco 30% menor de desenvolver hipertensão arterial em relação aos sedentários!
  • Apesar da nossa preferência naturalmente adquirida por alimentos doces, é possível modificar os padrões alimentares de acordo com o tipo de alimentação instituída. O desenvolvimento do paladar é plástico, podendo-se mudar as preferências alimentares, mesmo em adultos, através da exposição repetida a determinados alimentos sob diversas preparações.
  • A "gordura no fígado" caracteriza-se por uma infiltração gordurosa que pode estar associada a uma inflamação no fígado na ausência de causas secundárias como ingestão significativa de álcool, algumas medicações (corticoide, ácido valproico, antirretrovirais, amiodarona) e doenças hereditárias que possam causar dano progressivo ao fígado. Uma perda de apenas 5% de peso é capaz de melhorar a infiltração de gordura sendo que uma perda superior a 10% melhora significativamente a inflamação hepática!
  • Confira a seguir cinco dicas para maior chance de manutenção do peso no longo prazo: 1. Autopesagem regular (1 ou 2 vezes por semana); 2. Maior nível de exercício físico (aproximadamente 1 hora por dia); 3. Manutenção de uma dieta hipocalórica, com manutenção do padrão alimentar relativamente semelhante entre a semana e nos finais de semana; 4. Ingestão regular de café da manhã e 5. Tempo em frente à TV inferior a 10 horas por semana.
  • Embora o exercício físico tenha pouco efeito sobre a perda de peso, ele assume um papel fundamental na manutenção do peso perdido no longo prazo, além de benefícios inquestionáveis sobre a redução de risco cardiovascular! As evidências sugerem que aproximadamente 300 minutos semanais sejam necessários para manutenção do novo peso. Já para saúde cardiovascular, não há um mínimo necessário para se obter o benefício! Ou seja, qualquer esforço é válido!
  • A dosagem rotineira de testosterona em mulheres não é recomendada tendo em vista a falta de correlação entre os sintomas, tais como redução da libido, falta de energia, cansaço, com os níveis hormonais. Além disso, os níveis de testosterona variam de acordo com o ciclo menstrual, estado reprodutivo e horário da coleta. A dosagem deve ser feita apenas em condições onde o excesso de andrógenos (hormônios masculinos) são suspeitadas!
  • Não existe uma estratégia única ou medicação específica que deva ser recomendada rotineiramente para todos os pacientes com excesso de peso. É necessária uma avaliação criteriosa quanto à rotina alimentar e de exercícios, alterações de humor, presença de complicações ou doenças associadas à obesidade e possibilidade de efeitos colaterais de cada fármaco. Ainda, a não resposta a um determinado medicamento no passado não inviabiliza o seu uso futuramente.
  • O tratamento farmacológico da obesidade só se justifica quando associado à reeducação alimentar e a mudanças no estilo de vida. As medicações para perda de peso ajudam a melhorar a adesão do paciente a estas mudanças (nutricionais e comportamentais). Portanto, as medicações aumentam a chance de sucesso do tratamento, mas não funcionam sozinhas!
  • Se você estiver se sentindo privado com o seu plano alimentar é porque a sua dieta não é do tipo que possa se tornar um hábito para toda a vida. É preciso desenvolver um novo modo de pensar sobre seu relacionamento com a comida e passar da sensação de privação para a de satisfação.
  • Coma mais devagar e concentre-se em saborear cada garfada. Aprecie a visão, o aroma, o sabor e a textura dos alimentos. É mais fácil fazer isso se você sentar, sem assistir à televisão, ler ou trabalhar enquanto se alimenta.
  • Para ser bem sucedido no emagrecimento, é necessário um acompanhamento regular no longo prazo com profissionais experientes no manejo da obesidade. Sendo uma habilidade, o controle do peso requer tempo e experiência, além de muita prática para desenvolver novos comportamentos e capacidades.
  • A tendência após a perda de peso é um aumento do apetite, sobretudo por alimentos densamente calóricos. Por isso, é de suma importância que o paciente diminua sua exposição a condições que facilitem a alimentação excessiva, como por exemplo, ir a um rodízio de pizza (prefira a la carte), colocar as panelas à mesa (sirva seu prato e depois sente-se à mesa apenas com ele), não guardar "lanches especiais" para receber visitas.

DEPOIMENTOS

  • MC, feminina, 24 anos
    Dra Milene, Podes ter certeza de que sem a tua ajuda eu jamais teria conseguido! Esse grande sucesso nos resultados eu devo ao seu excelente trabalho de dedicação e ajuda. Hoje eu sou uma nova pessoa. Só tenho a te agradecer por esse grande trabalho e pela pessoa incrível que és, pois hoje eu sou feliz e pude aos 24 anos descobrir que é possível ter vida, porque o que eu tinha antes definitivamente não era! 
  • MBB, feminina, 59 anos, procedente de POA
    Dra Milene, estou muito feliz com os resultados!!! Retornando para casa hoje, fiz uma análise de tantas e tantas vezes que tentei vários regimes loucos, em que os profissionais só me davam um papel com uma dieta já pronta, com mais alguma droga ou método mágico e claro, sofria horrores e não emagrecia o que precisava, eram 2 ou 3 kg recuperados imediatamente!!!! Já totalmente descrente, graças a Deus encontrei você, uma profissional competente, comprometida com seus pacientes, de uma meiguice encantadora e que conseguiu me mostrar que é possível sim emagrecer apesar da minha idade e me mostrou o caminho certo. Hoje estou confiante nas minhas escolhas alimentares, feliz com minha saúde e consequentemente com a estética. Grande abraço 
  • LRQ, 24 anos, feminina, procedente de POA
    Boa tarde, Dra. Milene! Estou muito feliz com os resultados e, principalmente, pela certeza de que serão permanentes, pois refletem um novo estilo de vida, que só tive a disciplina necessária para adotar, porque tenho a segurança de que conto com o auxílio profissional mais competente para tanto. Muito obrigada! 
  • LS, 31 anos, feminina, procedente de POA
    Dra Milene, não tenho palavras para lhe agradecer o que a sra despertou em mim. Sempre brigando com a balança e hoje, depois de 3 meses que lhe conheci através de outros pacientes seus, foram 18 kg eliminados nesse tempo e uma mudança de vida sem tamanho. A senhora me mostrou que eu sou capaz disso, muito, muito obrigado pela profissional que és e principalmente por mudar a minha vida! 
  • ITS, 48 anos, feminina, procedente de Montenegro
    Bom dia Dra Milene, Estou muito feliz com o meu novo peso. Só tenho a agradecer pelo seu profissionalismo. Abraço 

DESCUBRA SEU IMC

Documento sem título

Seu peso (kg):

Sua altura (em centímetros)


Seu Índice de Massa Corporal

Você possui:

BIOIMPEDÂNCIA

  A avaliação da composição corporal por bioimpedância ocorre por meio da diferença da resistência à passagem da corrrente elétrica pelo músculo e pela gordura que fornecerá uma estimativa da gordura e da massa muscular nos quatro membros e no tronco.

Formulário de Contato

Entrada Inválida

Entrada Inválida

Entrada Inválida

Entrada Inválida

  R. Dona Laura, 333/ 906, Moinhos de Vento - Porto Alegre/ RS  |     (51) 3517-2003  |     (51) 99600-2233  |    contato@endocrinologistamilene.med.br

© 2019 Dra. Milene Moehlecke. Desenvolvido por Informatiza Soluções Empresariais em parceria com a Agência Digital Public