(51) 99600-2233   |      contato@endocrinologistamilene.med.br   |   

  • slider_5

    slider_5

  • r_george_bray

    r_george_bray

  • r_Jose_Scherman_obesidade

    r_Jose_Scherman_obesidade

ARTIGOS

DICA DA SEMANA

  • Quando comemos sentado, devagar e prestando atenção você: - terá mais consciência do quanto está comendo realmente - desfrutará mais daquilo que está comendo, ao perceber melhor o sabor e a textura dos alimentos - terá mais satisfação visual ao ver a comida toda arrumada no prato - terá mais satisfação física, uma vez que comer devagar faz com que o cérebro emita sinais de saciedade antes que você coma em excesso!
  • A água com gás contém mais sódio? MITO. O processo de gaseificação da água não contempla a adição de sódio. A quantidade de sódio varia de acordo com as diferentes marcas de água mineral. Conforme dados divulgados pela Associação Brasileira de Indústria de Água Mineral (ABINAM), o teor de sódio entre as 13 marcas analisadas variou de 6 a 100 mg/L, sendo essa variação dependente de caraterísticas do solo e da profundidade do aquífero de onde a água é extraída. E, antes que surjam preocupações excessivas, considerando a marca com maior teor de sódio, o consumo de uma garrafa de 500 ml corresponde a apenas 2% das necessidades diárias deste mineral!
  • Você sabia que a adoção da dieta mediterrânea, que consiste no consumo regular de frutas e vegetais, grãos, carboidratos integrais, oleaginosas, azeite de oliva e peixe tem mostrado efeito protetor contra todos os estágios da doença hepática gordurosa não alcoólica, incluindo redução do risco de cirrose e câncer de fígado?
  • Pacientes que não consomem laticínios e derivados deveriam aumentar seu aporte de cálcio de outros alimentos. Quando a ingestão encontra-se insuficiente de acordo com a faixa etária, a suplementação de cálcio faz-se necessária.
  • O consumo regular de 2 a 3 xícaras de café passado por dia deve ser encorajado em pacientes em risco de ou já com doença hepática instalada pelo seu benefício comprovado em redução da inflamação, fibrose e menor risco de câncer de fígado!!
  • Você sabia que uma dieta rica em potássio pode acarretar uma diminuição de aproximadamente 5 mmHg na pressão sistólica e 3 mmHg na diastólica? E esse efeito hipotensor pode ser potencializado quando ocorre uma redução simultânea da ingestão de sódio, que idealmente deve ficar em 5 gramas de sal por dia (ou 2 gramas de sódio).
  • Água com gás hidrata tanto quanto a sem gás? VERDADE. De acordo com um estudo realizado para avaliar o poder de hidratação de diferentes bebidas, o consumo de água com ou sem gás produziu o mesmo grau de hidratação quando ingeridas nas mesmas quantidades.
  • Você sabia que a gordura visceral ou abdominal está intimamente relacionada às complicações metabólicas associadas ao excesso de peso, tais como  doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, hipertensão e síndrome metabólica?  E esse tipo de gordura muito bem à prática regular de exercícios! Uma perda de 5% do peso através de dieta reduz a gordura visceral em 13%, enquanto com exercício a perda alcança 21%!  
  • Nesse final de ano, cuide com ingestão de bebidas alcoólicas! Não significa que você não possa beber nessa época. Simplesmente tente controlar a quantidade ingerida, intercalando a bebida com água. Planeje antecipadamente o quanto irá beber. Evite que sirvam enquanto o copo ainda não está vazio. Evite também coquetéis doces, preparados com açúcar, pois contêm uma quantidade grande de calorias sem dar saciedade. Além disso, quanto maior a ingestão de bebida alcoólica, maior a chance de exagerar no que você come. 
  • “A genética carrega a arma. O ambiente aperta o gatilho!” George Bray  Apesar de ter um componente genético para o seu surgimento, o gatilho da obesidade está no ambiente! Isso significa que o meio em que vivemos influencia, em muito, as nossas escolhas e hábitos de vida! Aproveite esse momento do ano mais reflexivo para repensar as suas prioridades e escolhas! Como você se vê em 20 anos? 
  • Qual a melhor estratégia para reduzir a gordura visceral?  Indivíduos que realizam dieta mais atividade física perdem gordura visceral numa maior proporção em relação àqueles que fazem apenas dieta.    
  • Indivíduos com obesidade estão em maior risco de desenvolver asma, assim como a asma pode predispor à obesidade e a obesidade pode piorar o curso clínico da asma.A maioria dos estudos sugere que o desenvolvimento de obesidade em indivíduos com diagnóstico prévio de asma modifica a evolução da doença, aumentando a gravidade da mesma e reduzindo a resposta ao tratamento.A boa notícia é que uma perda modesta de 5 a 10% do peso corporal é suficiente para induzir melhora significativa dos sintomas e da qualidade de vida dos pacientes com asma.
  • Você sabia que a maioria das mulheres com diagnóstico de diabetes gestacional consegue controlar a glicemia apenas cuidando da alimentação e realizando exercícios regularmente?    
  • Por que ocorrem variações do peso ao longo do dia? Essas oscilações podem variar de 1 a 2 kg entre o peso da manhã e o da noite. Desde ingestão de água, alimentos, bexiga cheia, intestino preso, são alguns dos fatores que influenciam no peso. Por isso, o ideal é pesar-se sempre pela manhã, em jejum, sem roupas e após ir ao banheiro. Esse peso é mais estável e confiável!
  • O uso de biotina em fórmulas para melhorar o cabelo, a pele e as unhas tem sido cada vez mais comum. A biotina é uma vitamina do complexo B, também conhecida como vitamina B7, que, quando em alta concentração, pode interferir na dosagem de diversos hormônios, incluindo aqueles que avaliam o funcionamento da tireoide. Por isso,  converse com o seu endocrinologista antes de realizar qualquer avaliação hormonal!
  • Você sabia que a nossa massa muscular começa a diminuir após a 4ª década de vida? Estima-se que, após os 50 anos, esta perda é, em média, de 1 a 2% ao ano!Por isso, como medida preventiva, a prática regular de exercícios, além dos cuidados com a alimentação, deve começar o quanto antes, preferencialmente na juventude!
  • "A constância é mais importante do que a perfeição!" Não fique esperando as condições perfeitas para mudar. Comece devagar, incorporando novos hábitos gradualmente. Mudanças radicais não são sustentáveis no longo prazo! Nos momentos livres aprenda a preparar uma refeição mais saudável e crie gosto por isso. Procure uma atividade física prazerosa e não uma que tenhas que fazer para "atingir metas". As mudanças precisam ser mantidas no longo prazo para manutenção dos resultados. Por isso, estabeleça metas factíveis de serem alcançadas com aumentos graduais conforme a sua evolução! O importante é mover-se em direção aos resultados HOJE! Pequenos passos diários nos conduzem a lindas jornadas!.! 
  • Invariavelmente todo indivíduo em um processo de reeducação alimentar acaba "escorregando". Importante compreender que não existe uma escorregada isolada que possa arruinar o seu progresso geral. Sair dos trilhos eventualmente faz parte do processo de mudança de hábitos. Um lapso (escorregada) não caracteriza um padrão! Entretanto, se você perceber uma série deles e um retorno progressivo aos velhos hábitos é hora de tomar providências!Tente fazer uma lista de pistas que mostrem haver algo mais que apenas uma escorregada. As pistas podem incluir, por exemplo, um ganho de peso superior a 2 kg, mais de uma semana sem se exercitar, roupas apertando novamente ou o retorno de um velho hábito que tenha sido difícil de superar
  • Concentre-se nas suas conquistas diárias durante o processo de emagrecimento pois isso lhe ajudará a manter a motivação, tão necessária para a aquisição de um novo hábito!!
  • Quanto tempo de atividade física devo realizar por dia? A recomendação oficial para manutenção da saúde é a realização de pelo menos 30 minutos na maioria dos dias da semana. Além disso, ficar parado por longos períodos de tempo no dia pode anular os efeitos positivos de 30 minutos de exercício. A inatividade prolongada está ligada à obesidade e ao diabetes, mesmo em pessoas ativas durante parte do dia!
  • Entre 9 aos 12 anos, toda criança deve ter seu colesterol avaliado!! Aquelas com história familiar (pais ou avós com histórico de problemas cardíacos ou de colesterol elevado), devem realizar uma avaliação mais precocemente, entre os 2 aos 8 anos de idade!
  • Para quem está em um programa de emagrecimento, ter uma balança de cozinha lhe ajudará a ter uma noção do tamanho das porções e a não exagerar!! 
  • Conforme a OMS, recomenda-se o consumo de cerca de 600 gramas de frutas e vegetais ao dia, idealmente metade de cada. Prefira, sempre que possível, a fruta in natura ao suco ou prefira sucos de frutas com menor teor de carboidrato, tais como limão, maracujá, acerola, morango.   
  • Dentre os fatores de risco modificáveis para controle da pressão arterial (alimentação, redução do sódio, exercícios, consumo moderado de álcool e perda de peso), o emagrecimento é o que apresenta maior influência sobre a redução da pressão arterial. Para cada redução de 5% no peso, existe uma redução de 20 a 30% na pressão arterial!!!
  • Moderação no consumo de álcool significa ingestão de, no máximo, 1 dose para mulheres e 2 doses para homens. 1 dose = 14 gramas de álcool, o que é encontrado em 350 ml de cerveja (5% álcool), 150 ml de vinho (12% álcool) ou 45 ml de destilados (40% álcool)   
  • COMER com CULPA não é SAUDÁVEL! Comer nos dá prazer!! Essa compreensão torna a alimentação mais leve e saudável!
  • Pacientes com HIPOTIREOIDISMO BEM CONTROLADO não apresentam maior dificuldade em perder peso! Por isso, uma avaliação detalhada dos seus hábitos é importante para tentar identificar uma ou múltiplas causas para o seu ganho de peso e/ou maior dificuldade na perda!
  • Perda rápida de peso NÃO leva a um rápido reganho (efeito rebote)! O que importa na manutenção do novo peso é a sua adesão ao tratamento e não a velocidade de perda!
  • Doses moderadas de cafeína (de 300 a 400 mg/dia) não apresentam efeito diurético significativo quando consumidas regularmente por indivíduos saudáveis!
  • EXERCITE-SE para ser SAUDÁVEL e não magro! Não faça exercício com o objetivo de perda de peso! Escolha uma atividade que lhe proporcione prazer!
  • Adote um plano alimentar que seja flexível e compatível com a sua realidade!O que faz a diferença é a sua adesão ao tratamento e não a distribuição dos macronutrientes (proteínas, carboidratos e gorduras)!
  • Se você está com dificuldade em manter a perda de peso, avalie suas tentativas prévias em relação às atitudes que deram melhores resultados e o que aconteceu para que você perdesse o foco e engordasse novamente. Faça uma lista das coisas que foram úteis. Exemplos: quando você se exercitava na volta do trabalho, quando beliscava menos antes do jantar, quando mantinha o lanche regular da tarde, evitando o exagero na janta, etc.
  • Pese-se com regularidade. Causas de oscilações agudas no peso: 1. Intestino preso; 2. Período menstrual; 3. Ingestão de bebida alcoólica; 4. Ingestão de alimentos ricos em carboidrato simples/refinado; 5. Ingestão exagerada de qualquer alimento. Oscilações abruptas no peso lhe farão pensar nestas possibilidades.
  • Faça uma lista de vantagens em estar magro (mais autoconfiança, usar roupas antigas, prazer em comprar roupas novas, menores e mais coloridas e não só pretas, subir escadas sem perder o fôlego, voltarei a gostar de tirar fotos, não ficarei diabética, etc). Isso lhe ajudará a manter a motivação para seguir em frente!!
  •  Você sabia que pacientes com asma que desenvolvem obesidade apresentam maior gravidade dos sintomas, maior frequência de crises, inclusive com maior necessidade de hospitalização, e menor resposta terapêutica para controle da asma, resultando em piora da qualidade de vida? Além disso, a asma não controlada pode predispor ao ganho de peso por promoção ao sedentarismo e pela maior frequência de uso de corticoide para controle da doença. Uma perda modesta de apenas 5 a 10% do peso corporal é suficiente para induzir melhora significativa dos sintomas e da qualidade de vida dos pacientes asmáticos.
  • A realização de exercícios regularmente reduz o risco de desenvolvimento de hipertensão arterial assim como auxilia na redução da pressão em pacientes em tratamento para a doença. Indivíduos ativos apresentam risco 30% menor de desenvolver hipertensão arterial em relação aos sedentários.  Ainda, a prática regular de atividade física é capaz de reduzir desfechos cardiovasculares, como infarto do miocárdio.
  • A constância é mais importante do que a perfeição! Não espere o momento ideal para iniciar uma atividade ou mesmo para mantê-la!
  • Obesidade como fator de risco para doença de Alzheimer! Você sabia que indivíduos com obesidade na meia idade apresentam um risco 2 vezes maior de desenvolver declínio cognitivo em relação àqueles com peso adequado? O risco torna-se ainda maior quando outros fatores de risco estão presentes, como colesterol elevado, hipertensão arterial e diabetes melito tipo 2.
  • O termo “Jejum intermitente” (JI) é usado para definir uma série de padrões de alimentação em que pouca ou nenhuma caloria é consumida por períodos de tempo variáveis. Atualmente existem diversos protocolos para a realização de jejum intermitente, sendo um dos mais estudados o protocolo 2:5, ou seja, 2 dias de consumo equivalente a 25% das necessidades energéticas intercalados com 5 dias de alimentação sem restrições. Quando comparado à dieta hipocalórica, o JI não é superior em termos de perda de peso. Além disso, tendo em vista que a manutenção do novo peso está diretamente associada à adesão no longo prazo e que a taxa de abandono entre os indivíduos que fazem jejum intermitente é maior, permanece a dúvida do quão sustentável é essa estratégia no longo prazo.    
  • Água com limão não detoxifica, não emagrece, não aumenta a imunidade, não previne resfriados, não melhora a digestão ou previne câncer! Água com limão é apenas água com limão. Contém vitamina C que é saudável mas isoladamente não faz milagres!
  • Dietas da moda são criadas para vender e não para resolver o problema da obesidade, doença crônica cujo tratamento requer sobretudo mudanças no estilo de vida que devem ser mantidas no longo prazo! Da mesma forma, não existem superalimentos ou shakes milagrosos! Estes tratamentos podem até funcionar no CURTO PRAZO, mas não vão lhe ajudar a manter os resultados no longo prazo!
  • Pode tomar água antes das refeições? Ingerir 1 a 2 copos de água antes das refeições lhe ajudará a comer menos durante a refeição principal, tendo em vista que a ingestão de água previamente auxilia na sensação de saciedade, importante para pacientes que estão em um programa de emagrecimento. Já ingerir água durante a refeição não prejudica a digestão ou a absorção dos nutrientes, não "dilata" o estômago e não dilui o suco gástrico! Lembrando que a água pode ser com gás! 
  • Exercício ao ar livre durante a pandemia! É possível praticar exercícios ao ar livre, desde que você evite toda e qualquer aglomeração, procurando o maior distanciamento possível. 
  • Você sabia que a realização regular de atividade física é capaz de melhorar a imunidade? Pessoas com sobrepeso e obesidade não só podem como devem continuar fazendo exercícios físicos durante a quarentena. Além de atuarem sobre o sistema imunológico, os exercícios ajudam no controle da ansiedade, além de minimizarem oscilações de peso nesse período!!
  • Se você está em tratamento com medicamentos para obesidade, não páre com as medicações devido à pandemia pelo COVID-19! Não existem dados que suportem a diminuição da imunidade com as medicações para obesidade! Além disso, seu risco de recuperar o peso nesse momento de maior ansiedade e confinamento com a suspensão da medicação é grande!
  • Comer carboidratos à noite não aumenta a fome ou limita o emagrecimento. O que pode dificultar o emagrecimento é comer uma grande quantidade de comida à noite ou muito tarde, pois nosso metabolismo tende a funcionar de forma mais lenta nesse momento do dia!
  • Existe relação entre a vitamina D e a infeção pelo COVID-19? Dados preliminares de um estudo mostraram uma associação entre pacientes infectados pelo coronavírus e menores níveis de vitamina D. Entretanto, este estudo não mostra relação de causalidade (será que os baixos níveis de vitamina D tornarão os pacientes mais suscetíveis à infecção?) tampouco avaliou se a reposição com a vitamina D melhorou a imunidade destes pacientes ou reduziu a gravidade  da infecção. Por isso, até o momento, não há indicação de repor vitamina D com vistas à reduzir o risco de infecção por coronavírus! A única indicação VÁLIDA até o momento é fazer reposição para proteção da massa óssea em pacientes selecionados!!
  • Pessoas com diabetes vulneráveis e que provavelmente terão resultados piores se contraírem COVID-19 são aquelas com longa história de diabetes, mau controle metabólico, presença de complicações e doenças concomitantes e especialmente os idosos (>60 anos), independente do tipo de diabetes. O risco de complicações na pessoa com diabetes bem controlado é menor, tanto para o diabetes tipo 1 quanto para o tipo 2. Como o controle glicêmico é a chave para o sucesso, monitorar frequentemente sua glicemia e ajustar medicações em geral ou insulinas – sempre com orientação médica – são procedimentos que podem prevenir complicações não apenas desta nova virose como também do próprio diabetes!
  • Coronavírus e imunidade!! Uma boa noite de sono, a realização regular de exercícios físicos e uma alimentação saudável são alguns dos fatores associados a uma melhora do nosso sistema de defesa do organismo. Fortalecer a nossa imunidade não impede o contágio nem é garantia de cura à doença, mas ajuda o sistema imunológico a estar pronto para enfrentar o vírus.Uma alimentação balanceada, que inclua uma variedade de frutas, legumes e vegetais é importante para fortalecer nosso sistema imunológico. Importante frisar que os difundidos “shots para imunidade”, soroterapia ou o consumo de qualquer alimento isoladamente não melhora a imunidade tampouco é capaz de evitar a transmissão pelo vírus.
  • Nesta semana, a locarsserina (Belviq®), medicamento aprovado para perda de peso e em vigência no mercado brasileiro desde outubro de 2019, teve sua venda suspensa após uma revisão de dados do estudo clínico CAMELLIA-TIMI 61, realizado com 12 mil pacientes por até cinco anos, que documentou um desequilíbrio entre o número de pacientes com neoplasias com o uso prolongado da medicação (a incidência foi de 7,7% no grupo Lorcasserina versus 7,1% no grupo placebo, ou seja, um aumento absoluto de 0,6% no grupo que recebeu a medicação).

DEPOIMENTOS

  • GP, 39 anos, procedente de POA
    Bom dia dra Milene!Consegui participar do torneio de iniciantes no tênis esse final desemana e ganhei o troféu de vice-campeã! Compartilho esse prêmio contigo, em agradecimento ao incentivo de sempre!
  • JP, 42 anos
    Boa tarde Dra Milene, Não tenho palavras para descrever a consulta, só posso dizer que foi maravilhosa, amei demais, a sua comunicação e didática! Perfeita!
  • EC, 26 anos
    Dra Milene, Fiz um breve tratamento contigo em 2018 que precisou ser interrompido porque me mudei para São Paulo. Desde lá consegui manter a perda de peso e ressignificar muitas práticas nesse período. Amei o teu profissionalismo, empatia e entendi que existiam caminhos possíveis e não milagrosos contigo.     
  • ML, feminina, 57 anos, procedente de Torres
    Dra Milene, Adoramos a nossa consulta!!! Tu és uma excelente médica!
  • MC, feminina, 24 anos
    Dra Milene, Podes ter certeza de que sem a tua ajuda eu jamais teria conseguido! Esse grande sucesso nos resultados eu devo ao seu excelente trabalho de dedicação e ajuda. Hoje eu sou uma nova pessoa. Só tenho a te agradecer por esse grande trabalho e pela pessoa incrível que és, pois hoje eu sou feliz e pude aos 24 anos descobrir que é possível ter vida, porque o que eu tinha antes definitivamente não era! 

DESCUBRA SEU IMC

Documento sem título

Seu peso (kg):

Sua altura (em centímetros)


Seu Índice de Massa Corporal

Você possui:

BIOIMPEDÂNCIA

  A avaliação da composição corporal por bioimpedância ocorre por meio da diferença da resistência à passagem da corrrente elétrica pelo músculo e pela gordura que fornecerá uma estimativa da gordura e da massa muscular nos quatro membros e no tronco.

Formulário de Contato

Entrada Inválida

Entrada Inválida

Entrada Inválida

Entrada Inválida

Entrada Inválida

  R. Dona Laura, 333/ 906, Moinhos de Vento - Porto Alegre/ RS  |     (51) 99600-2233  |    contato@endocrinologistamilene.med.br

© 2021 Dra. Milene Moehlecke. Desenvolvido por Informatiza Soluções Empresariais em parceria com a Agência Digital Public