(51) 3517-2003  |    (51) 99600-2233   |      contato@endocrinologistamilene.med.br   |   

Artigos

A menopausa compreende a fase da vida da mulher em que ocorre ausência de ciclos menstruais por 12 meses consecutivos, ocorrendo naturalmente por volta dos 51 anos de idade. A terapia de reposição hormonal (TRH) está indicada para mulheres com menos de 60 anos ou que estejam na menopausa há menos de 10 anos e que apresentem sintomas vasomotores significativos (calorões) e que não apresentem contra-indicações ao tratamento. Preocupações com o ganho de peso com a TRH é uma razão comum para as mulheres não quererem usá-la. Aproximadamente 20% das mulheres abandonam o tratamento por atribuírem o seu ganho de peso à TRH. De acordo com um grande estudo realizado em mulheres na menopausa, aquelas que receberam TRH apresentaram menor perda de massa muscular e um menor aumento da circunferência abdominal em relação àquelas que não usaram TRH. O ganho de peso frequentemente referido nesta fase, sobretudo a maior adiposidade na região do abdome, ocorre em virtude da redução dos níveis de estrogênio circulantes. Além disso, uma redução da taxa metabólica basal (que corresponde às necessidades calóricas diárias) ocorre em paralelo à redução da massa muscular que se torna mais pronunciada após os 50 anos. Conforme dados da literatura, as mulheres que entram na menopausa tendem a ganhar em média 3 kg de gordura e 6 cm de circunferência abdominal, com uma redução variável da massa muscular, alterações que predispõem…
Compartilhe nas redes sociais:
Quarta, 03 Julho 2019 20:30

Whey protein pode causar acne?

Suplementos à base de proteínas, especialmente os de origem animal, são muito populares entre atletas amadores e indivíduos que visam melhora da performance muscular. O whey protein consiste na proteína do soro do leite que pode ser usado como complemento à dieta para adequar as necessidades proteicas diárias do indivíduo. Vale ressaltar que o seu uso não é mandatório para melhora da composição corporal (ganho de massa muscular e perda de gordura). Especificamente em relação ao whey protein como causa de acne, será que esta informação procede? Estudos observacionais têm mostrado aumento do risco de surgimento ou agravo da acne em consumidores de leite (mais do que 3 porções por semana). Estes estudos, entretanto, usaram recordatório de 24 horas para avaliar a ingestão alimentar, o que pode fazer com que mais indivíduos acometidos por acne lembrem do que comeram do que aqueles sem acometimento (um tipo de fator de confusão chamado viés de memória que pode interferir nos resultados). Ainda, estudos que avaliaram o uso de whey com o surgimento de acne mostraram uma relação temporal com o início da suplementação assim como melhora da acne após suspensão do suplemento. Uma das hipóteses para esta associação é que o consumo de leite desnatado e de whey protein está associado a maiores níveis de IGF1 (fator de crescimento semelhante à insulina) e de insulina, o que por sua vez estimula a…
Compartilhe nas redes sociais:
Sexta, 28 Junho 2019 07:33

Cafeína para perda de peso: funciona?

A busca por recursos para auxiliar na perda de peso tem crescido em paralelo à epidemia de obesidade. Muitos suplementos ditos “naturais” são vendidos com a promessa de acelerar o metabolismo e auxiliar na queima de gordura, sendo chamados de termogênicos. Dos suplementos vendidos para perda de peso, a cafeína é o item mais frequentemente encontrado, sendo vendida como cápsula ou à granel. A cafeína está presente naturalmente em grãos de café e no chá verde (principais fontes), sendo considerada a bebida estimulante mais consumida no mundo. Em relação a seus potenciais efeitos especificamente sobre a perda de peso, a cafeína atua, por diferentes mecanismos, sobre a ingestão alimentar e o gasto calórico. Através da inibição das fosfodiasterases, a cafeína ocasiona um aumento dos níveis de catecolaminas que induzirão lipólise (queima de gordura) no tecido adiposo, aumentando, portanto, a oxidação de gordura. Alguns estudos também demonstraram aumento da taxa metabólica de repouso, principal componente do gasto calórico, após o consumo de doses moderadas de cafeína. Ainda a cafeína pode suprimir a fome e aumentar a saciedade por estimular o sistema nervoso simpático (SNS). Mas qual o real impacto destas ações sobre a perda de peso? O aumento do gasto calórico descrito com a cafeína é discreto, tendo relevância clínica questionável para indução significativa de perda de peso. Além disso, este efeito sobre o metabolismo foi verificado, na grande maioria dos…
Compartilhe nas redes sociais:
Desde meados da década de 90, tem-se postulado que o diabetes tipo 2, doença até então considerada crônica e de curso progressivo, poderia ser revertida após a cirurgia bariátrica, hipótese levantada pelo cirurgião americano, Dr. Walter Pories, em seu artigo intitulado: “Who would have though it? An operation proves to be the most effective therapy for adult-onset diabetes mellitus” que mostrou melhora glicêmica significativa ou remissão da doença em 83% dos pacientes submetidos ao procedimento. Define-se remissão do diabetes como a obtenção de níveis glicêmicos que não preenchem critérios para diabetes, na ausência de terapia farmacológica e com duração superior a 1 ano. Ainda, a remissão pode ser parcial, quando os níveis de hemoglobina glicada* (A1c) são inferiores a 6,5% e a glicemia de jejum entre 100 a 125 mg/dl e completa quando ocorre restauração à normoglicemia (A1c inferior a 5,7% e glicemia de jejum abaixo de 100 mg/dl). Conforme metanálise publicada em 2009, com inclusão de 621 estudos e aproximadamente 5000 pacientes com diabetes tipo 2, 80% dos pacientes obtiveram remissão completa da doença após a realização do bypass gástrico, tipo de cirurgia bariátrica mais comumente realizado. Mais recentemente, no trial Diabetes Remission Clinical Trial (DiRECT), estudo desenvolvido para avaliar o efeito da perda de peso sobre as taxas de remissão do diabetes em indivíduos com menos de 6 anos de doença, dos 149 pacientes que receberam uma dieta…
Compartilhe nas redes sociais:
Sábado, 15 Junho 2019 18:40

O que é uma perda de peso razoável?

É comum os pacientes procurarem ajuda profissional com expectativas muito elevadas para perda de peso e por vezes irrealistas. Conforme alguns estudos, os pacientes esperam perder entre 20 a 30% do seu peso com o tratamento, um valor bastante diferente do preconizado pelas sociedades médicas para obtenção de benefícios na saúde, que é de 5 a 10% do peso inicial. Em contraste a esta expectativa, mudanças no estilo de vida, incluindo dieta e exercício, levam a uma perda entre 3 a 8% do peso inicial e um percentual pequeno destes mantém a perda no longo prazo. A adição de medicamentos aumenta a chance de perda para 10 a 15%, o que é considerada uma excelente resposta. A discrepância entre as expectativas do paciente e os resultados obtidos podem levar à frustração e ao abandono do tratamento, especialmente entre mulheres, em que a pressão midiática é bastante influente. Por isso, é necessário avaliar as expectativas e os objetivos do paciente em relação ao tratamento e o que é factível de ser atingido para maior chance de manutenção dos resultados no longo prazo. Da mesma forma, é importante ressaltar ao paciente que perdas modestas mantidas no longo prazo são suficientes para melhorar a saúde e prevenir ou amenizar muitas complicações relacionadas ao excesso de peso e são efetivas na redução dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de diabetes e doenças…
Compartilhe nas redes sociais:
Pagina 2 de 23

  R. Dona Laura, 333/ 906, Moinhos de Vento - Porto Alegre/ RS  |     (51) 3517-2003  |     (51) 99600-2233  |    contato@endocrinologistamilene.med.br

© 2020 Dra. Milene Moehlecke. Desenvolvido por Informatiza Soluções Empresariais em parceria com a Agência Digital Public