(51) 3517-2003  |    (51) 99600-2233   |      contato@endocrinologistamilene.med.br   |   

Dica da Semana

Sub-categorias

23-05-19

23-05-19 (0)

Mulheres tentando engravidar, gestantes e mulheres que estão amamentando não devem receber nenhuma medicação para perda de peso pelo risco de complicações para o bebê!

Ver itens ...
30-05-19

30-05-19 (0)

Quanto tempo o corpo precisa para se acostumar ao novo peso? Embora a medicina seja uma ciência de verdades transitórias, o que podemos afirmar até o momento, baseado nos estudos de até 6 anos de acompanhamento após a perda de peso inicial é que as alterações hormonais responsáveis pelo aumento do apetite e pela redução do gasto energético parecem persistir ao longo do tempo, sem adaptação após determinado período. Por isso, a continuidade das estratégias aprendidas para perda de peso são fundamentais para manutenção do novo peso!! 

Ver itens ...
06-06-19

06-06-19 (0)

A realização regular de qualquer tipo de exercício reduz o risco de desenvolvimento de hipertensão arterial assim como auxilia na redução da pressão em pacientes em tratamento para a doença. Para indivíduos ativos, existe uma redução de 30% no risco de desenvolver hipertensão arterial em relação aos sedentários. Ainda, a prática regular de atividade física é capaz de reduzir desfechos cardiovasculares, como infarto do miocárdio, independente da perda de peso!

Ver itens ...

29-03-20

Atenção!! Nenhum alimento isoladamente aumenta a imunidade!! Imunidade depende de inúmeros fatores (sono, exercício, uso de medicamentos), incluindo uma alimentação equilibrada e diversificada. Não se deixe enganar por discursos eloquentes sobre megadoses de vitamina C, D, soroterapia ou "shots" para imunidade!
Compartilhe nas redes sociais:

22-03-20

Comer carboidratos à noite não aumenta a fome ou limita o emagrecimento. O que pode dificultar o emagrecimento é comer uma grande quantidade de comida à noite ou muito tarde, pois nosso metabolismo tende a funcionar de forma mais lenta nesse momento do dia!
Compartilhe nas redes sociais:

15-03-2020

Existe relação entre a vitamina D e a infeção pelo COVID-19? Dados preliminares de um estudo mostraram uma associação entre pacientes infectados pelo coronavírus e menores níveis de vitamina D. Entretanto, este estudo não mostra relação de causalidade (será que os baixos níveis de vitamina D tornarão os pacientes mais suscetíveis à infecção?) tampouco avaliou se a reposição com a vitamina D melhorou a imunidade destes pacientes ou reduziu a gravidade da infecção. Por isso, até o momento, não há indicação de repor vitamina D com vistas à reduzir o risco de infecção por coronavírus! A única indicação VÁLIDA até o momento é fazer reposição para proteção da massa óssea em pacientes selecionados!!
Compartilhe nas redes sociais:

08-03-2020

Pessoas com diabetes vulneráveis e que provavelmente terão resultados piores se contraírem COVID-19 são aquelas com longa história de diabetes, mau controle metabólico, presença de complicações e doenças concomitantes e especialmente os idosos (>60 anos), independente do tipo de diabetes. O risco de complicações na pessoa com diabetes bem controlado é menor, tanto para o diabetes tipo 1 quanto para o tipo 2. Como o controle glicêmico é a chave para o sucesso, monitorar frequentemente sua glicemia e ajustar medicações em geral ou insulinas – sempre com orientação médica – são procedimentos que podem prevenir complicações não apenas desta nova virose como também do próprio diabetes!
Compartilhe nas redes sociais:

01-03-2020

Coronavírus e imunidade!! Uma boa noite de sono, a realização regular de exercícios físicos e uma alimentação saudável são alguns dos fatores associados a uma melhora do nosso sistema de defesa do organismo. Fortalecer a nossa imunidade não impede o contágio nem é garantia de cura à doença, mas ajuda o sistema imunológico a estar pronto para enfrentar o vírus.Uma alimentação balanceada, que inclua uma variedade de frutas, legumes e vegetais é importante para fortalecer nosso sistema imunológico. Importante frisar que os difundidos “shots para imunidade”, soroterapia ou o consumo de qualquer alimento isoladamente não melhora a imunidade tampouco é capaz de evitar a transmissão pelo vírus.
Compartilhe nas redes sociais:

20-02-2020

Nesta semana, a locarsserina (Belviq®), medicamento aprovado para perda de peso e em vigência no mercado brasileiro desde outubro de 2019, teve sua venda suspensa após uma revisão de dados do estudo clínico CAMELLIA-TIMI 61, realizado com 12 mil pacientes por até cinco anos, que documentou um desequilíbrio entre o número de pacientes com neoplasias com o uso prolongado da medicação (a incidência foi de 7,7% no grupo Lorcasserina versus 7,1% no grupo placebo, ou seja, um aumento absoluto de 0,6% no grupo que recebeu a medicação).
Compartilhe nas redes sociais:

14-02-2020

Ser magro não é sinônimo de ser saudável!! Preste atenção no que você está ingerindo! Indivíduos magros porém metabolicamente não saudáveis apresentam risco elevado de complicações cardiovasculares e diabetes!!
Compartilhe nas redes sociais:

07-02-2020

Você sabe o que é TRANSTORNO DE COMPULSÃO ALIMENTAR? Ao contrário do que muita gente imagina, comer esporadicamente uma quantidade maior de determinado alimento porque está gostoso não representa um episódio compulsivo. O transtorno de compulsão alimentar é caracterizado pela ingestão de uma quantidade de comida muito maior do que a maioria das pessoas conseguiria consumir em um período limitado de tempo (1 a 2 horas), acompanhado da sensação de perda de controle, com padrão recorrente (pelo menos uma vez por semana por pelo menos 3 meses), na ausência de comportamentos compensatórios (indução de vômitos ou jejum prolongado), seguido por sentimentos que variam entre culpa, arrependimento e raiva pelo ocorrido. Trata-se de um distúrbio psiquiátrico que acomete cerca de 2% da população adulta chegando a 30% entre pacientes com obesidade! Se você se identificou com essa descrição, procure ajuda de um profissional especialista em transtornos alimentares!
Compartilhe nas redes sociais:

31-01-2020

É necessário suplementar com whey protein para ganho de massa muscular? Para um ganho desejado de massa muscular, uma dieta com proteínas em níveis adequados é suficiente para este objetivo. Portanto, o uso de whey protein não é obrigatório!! Além disso, é importante o entendimento de que a proteína em si não é um suplemento ergogênico! Ou seja, a ingestão adequada de proteínas (sejam elas oriundas da dieta ou de suplementos) é importante para otimizar o ganho de massa muscular que ocorre por meio de um estímulo adequado através do exercício resistido (musculação). O whey protein como suplemento à dieta pode ser usado por ser mais conveniente, mas os estudos existentes na literatura não mostram superioridade de uma dieta equilibrada com aporte adequado de proteínas em relação ao uso de whey protein para ganho de massa muscular.
Compartilhe nas redes sociais:

24-01-2020

Pré-requisitos para otimização do ganho de massa muscular: 1. Duração adequada de sono (entre 5 a 9 horas por noite) e qualidade do sono (sem despertares à noite); 2. Fracionamento da ingestão de proteína (porções entre 20 a 40 gramas), 3 a 4 vezes por dia; 3. Exercício físico resistido, como a musculação; 4. Consumo moderado de álcool.
Compartilhe nas redes sociais:

16-01-2020

Doença hepática gordurosa não alcoólica, mais popularmente conhecida como "gordura no fígado", representa a doença hepática mais comum no mundo. Caracteriza-se por uma infiltração gordurosa que pode estar associada a uma inflamação no fígado na ausência de causas secundárias como ingestão significativa de álcool, uso de algumas medicações, como corticoide, ácido valproico, alguns antirretrovirais, amiodarona, e doenças hereditárias que possam causar dano progressivo ao fígado. O melhor TRATAMENTO consiste em perda de peso, possibilitando na maioria das vezes uma reversão parcial ou completa desta condição!! Uma perda de peso de apenas 5% é capaz de melhorar a infiltração de gordura, sendo que uma perda de 10% melhora a inflamação hepática, revertendo o processo na imensa maioria das vezes!!
Compartilhe nas redes sociais:

09-01-2020

Quanto de exercício é necessário para manter a perda de peso após um programa de emagrecimento? Para evitar a recuperação de peso, são necessários 200 a 300 minutos por semana de exercício físico moderado a intenso, em decorrência da redução do metabolismo basal secundário ao emagrecimento.
Compartilhe nas redes sociais:

02-01-2020

Aproveita o início do ano para começar alguma atividade que lhe dê prazer! A prática regular de exercícios tem inúmeros benefícios em diversos sistemas no organismo, com benefícios demonstrados desde a redução da mortalidade geral até estímulo à formação de novos neurônios e consequente melhora da função cognitiva como um todo. Mas entenda que aumentar a atividade física por si só não é uma estratégia eficaz para promover a perda de peso uma vez que o déficit energético criado pelo exercício geralmente é menor e requer muito mais esforço quando comparado ao déficit energético criado por uma redução de calorias na dieta. Embora a prática regular de exercício físico seja menos efetiva para indução de perda de peso, ela se torna fundamental para manutenção do peso perdido!
Compartilhe nas redes sociais:

05-12-2019

Dica para o final de ano: Aprenda a dizer “Não, obrigada (o)”! Durante eventos sociais, aprenda a dizer não! Respostas simples como: "Estava delicioso, mas estou satisfeito", é muitas vezes suficiente. É muito mais provável que você se arrependa do que exagerou do que deixou de comer! Pense nisso!
Compartilhe nas redes sociais:

28-11-2019

Dica para o final de ano: manere na ingestão de álcool! Neste período mais festivo do ano, tente controlar a ingestão de bebidas alcoólicas para manter a perda de peso obtida ao longo do ano! Uma das formas de controlar a ingestão é intercalando a bebida com água, água saborizada, limonada, são algumas alternativas. Além disso, planeje antecipadamente o quanto irá beber. Evite que sirvam enquanto o copo ainda não está vazio. Evite também coqueteis doces, preparados com açúcar, pois estes contêm uma quantidade grande de calorias sem dar saciedade. Além disso, a maior ingestão de bebidas alcoólicas reduz o nosso limiar para ingestão alimentar em excesso, especialmente doces!
Compartilhe nas redes sociais:

21-11-2019

Você sabia que, em indivíduos geneticamente predispostos, o consumo exagerado de alimentos que ultrapassa o gasto calórico leva a um aumento do número de células adiposas (células de gordura)? E quando reduzimos de peso estas células não desaparecem, apenas ficam menores. Este processo é mais pronunciado em crianças mas também pode ocorrer em adultos. 
Compartilhe nas redes sociais:

14-11-2019

Você sabia que os pacientes que conseguem perder mais peso nos primeiros meses de tratamento são os que apresentam maior chance de manutenção no longo prazo? Isso porque após alguns meses do início do processo de emagrecimento o organismo se adapta à perda tornando-a mais difícil! Por isso, a máxima de "devagar e sempre" para aqueles que precisam perder uma quantia considerável de peso não se aplica!!
Compartilhe nas redes sociais:

07-11-2019

Você está com dificuldade em manter a perda de peso? Avalie suas tentativas prévias em relação às atitudes que deram melhores resultados e o que aconteceu para que você perdesse o foco e recuperação o peso novamente. Faça uma lista das coisas que foram úteis. Exemplos: quando você se exercitava na volta do trabalho, quando beliscava menos antes do jantar, quando mantinha o lanche regular da tarde, evitando o exagero na janta, dentre outros.
Compartilhe nas redes sociais:

31-10-2019

Se você está em um processo de emagrecimento, pese-se com regularidade e tenha sempre em mente os fatores responsáveis por elevações agudas no peso, tais como: 1. Intestino preso; 2. Período menstrual; 3. Ingestão de bebida alcoólica; 4. Ingestão de alimentos ricos em carboidrato simples/refinado; 5. Ingestão exagerada de qualquer alimento. Embora a perda de peso seja relativamente linear nos primeiros meses do tratamento, variações fisiológicas podem ocorrer durante este período. Por isso, é importante identificar se o aumento abrupto pode ser em decorrência de algum fator externo ou de uma variação fisiológica inerente ao processo.
Compartilhe nas redes sociais:

24-10-2019

Você já ouviu falar em biomassa de banana verde? Biomassa de banana verde consiste na polpa da banana verde, que é um amido resistente, ou seja, resistente à digestão no intestino, com efeito semelhante às fibras solúveis que auxiliam na redução dos níveis de colesterol. Conforme alguns estudos, a ingestão de 25 a 30 gramas de biomassa de banana verde (equivalente a 2 colheres de sopa) está associada à melhora da sensibilidade à ação da insulina (mecanismo associado ao surgimento do diabetes tipo 2), redução da glicemia de jejum e da glicemia após a refeição tanto em indivíduos com diabetes tipo 2 quanto naqueles sem a doença.
Compartilhe nas redes sociais:
Pagina 1 de 12

  R. Dona Laura, 333/ 906, Moinhos de Vento - Porto Alegre/ RS  |     (51) 3517-2003  |     (51) 99600-2233  |    contato@endocrinologistamilene.med.br

© 2020 Dra. Milene Moehlecke. Desenvolvido por Informatiza Soluções Empresariais em parceria com a Agência Digital Public